formandos

Top 10: Considerações sobre a Faculdade

Esse post é mais um bate papo sobre o que eu penso do assunto do que um top 10 realmente não é?
Mas serão 10 considerações que eu acho pertinente na hora de escolher e decidir sobre a faculdade.
Eu, estando no último semestre do curso, grávida e casada a 3 anos, tenho muitas coisas para falar sobre o assunto, pois já sai e voltei para a faculdade e sei bem a sensação do que é terminar tudo isso.
dom_bosco_capa

Então vamos as considerações:

1. O que me faz feliz? Dá para unir isso com minha profissão?
Quando eu comecei a pensar sobre a decisão de qual faculdade/profissão escolher, não pensei bem assim! Sempre quis ser estilista e trabalhar com moda, mas o meu medo foi maior que minha coragem. Pesquisando um pouco, fiquei com medo de não conseguir entrar no mercado de trabalho ou de trabalhar com algo “fútil” e sem muita utilidade para o mundo. Porém, não pensei em alternativas para a profissão nem no que me fazia feliz.
Tem muitas vertentes da moda e do design, que podem SIM fazer bem ao mundo e a si mesma, além de ser profissões interessantes e com futuro. Não é preciso ter medo quando se tem força de vontade e o dom de fazer algo que se gosta.
A conclusão é que acabei escolhendo minha faculdade considerando o dinheiro e a diversidade.
Escolhi o curso de Administração com ênfase em Comércio Exterior, porque administração seria um tema abrangente e poderia me dar changes em outras áreas depois e comércio exterior por ser uma profissão em alta e um mercado crescente.
Sou feliz com essa decisão?… Não muito. Se pudesse voltar atrás e tivesse a mesma visão que hoje, certamente faria algo que tenha mais a ver comigo. Definitivamente não gosto de comércio exterior, mas a administração é algo que me interessa e não foi portanto um curso perdido para mim.

2. Para que vou fazer uma faculdade?
Essa é mais uma pergunta que você deve fazer a si mesmo. Você pensa somente no retorno financeiro, em uma carreira, em ser feliz com o que faz, em ajudar os outros, em fazer a diferença no mundo, pensa em algo grande e desafiador… Ou seja, qual é o seu objetivo disso?
Não façam como eu! Eu não pensei sobre isso. Entrei na faculdade só porque era o que tinha que ser feito por uma adolescente que acabava o colégio. Mas a faculdade deve ter um motivo, um foco, pois se não, perde o sentido no meio do caminho e a desmotivação vem fácil fácil.
Além de lhe dar um rumo, vai fazer você decidir qual curso você realmente quer cursar.

3. Quanto tempo vou levar para me formar? Os percalços do caminho.
Esse é outro ponto muito importante. Tem diversos cursos, com diversas durações. Depois de saber a duração do seu curso de escolha, você tem que pensar na seriedade que levará tudo isso, e se não há nada que possa te atrapalhar durante os anos seguintes pela frente.
Você vai querer viajar? Vai querer casar? Vai querer ter filhos? Vai querer se focar em algum projeto pessoal ou social?
Tem muitas coisas que podem se intrometer no meio do caminho pois é um período longo em que você se encontrará “preso” em uma rotina corrida e apertada de estudo contínuo. Tome a sua decisão de forma responsável e faça isso com firmeza. Se assim decidir, vá até o fim e planeje o caminho desde o início.
Eu não fiz isso e por isso, me casei no meio da faculdade, parei no meio para viajar e agora no fim estou tendo um filho.
É impossível? Não, mais torna tudo mais difícil e mais demorado ainda!

4. O quanto temos que levar nossa decisão a sério para “sofrer” menos?
Esse é um tema que me revolta um pouco. Principalmente aqueles que tem apoio financeiro para isso.
Se você tomou essa decisão, deve levar isso a sério, pois sua faculdade não é besteira.
O fato de se não estudar o mínimo para passar de cada fase e aprender o mínimo com isso não é uma decisão correta.
Cada um deve se esforçar ao mínimo para não repetir as matérias e gastar mais dinheiro, tempo e paciência, tornando sua faculdade não uma coisa séria e que te leve adiante, mas uma piada ou algo forçado que te deixe estagnado pelo caminho.
Eu sempre levei minha faculdade a sério, mesmo que muitas vezes me perguntasse: “o que estou fazendo aqui?”, porque essa era a decisão que eu tinha tomado e não ficaria levando isso na brincadeira, ficando de dependências e levando tudo na brincadeira.

5. Depois que me formar, terei dinheiro, uma profissão, uma carreira? Serei bem sucedida?
Esse é um risco a se pensar. Conheço muitas pessoas que se formaram e não fazem nada que tenha relação com sua faculdade ou que tem dificuldade para se entrar no mercado.
Neste aspecto eu penso que você deve levar em consideração 3 coisas:
– Se você tem talento para o que escolheu, se destacará dos demais e o mercado vai te procurar. Além disso, ética e caráter fazem toda a diferença.
– Você precisa ser persistente e corajoso. É necessário correr atrás e ir adiante, em busca de todas as possibilidades possíveis que o mercado disponibiliza.
– Se você se esforçar, seu conhecimento vai se destacar no mercado. O seu estudo será bem aplicado e reconhecido.

6. Há espaço para mim no mercado? Em qual área da profissão me especializar/encaixar?
Em profissões de mercado saturado ou fechado, se deve analisar todas as opções de carreira, nichos e vertentes da profissão, em que você pode se especializar. Em moda por exemplo, eu não preciso ser aquele que desenha uma coleção e a coloco no fashion week, (apesar de que se deve lutar por seus sonhos se esse for o caso), mas posso ser modelista, vitrinista, personal style… Há mil e uma opções.
Depois disso, veja se tem contatos do mercado ou pessoas conhecidas da família e amigos que possam representar um caminho aberto ou ajuda ao ingressar no mercado.
Fale com pessoas que fazem o que você pretende fazer, se tiver a oportunidade. Só assim terá um panorama real do que vai realmente viver no futuro.

7. O que eu faço é útil e bom para o mundo? Vai de acordo com meus princípios?
Não é difícil que alguém escolha uma determinada profissão por dinheiro e/ou status e depois de um tempo, se pegue desanimada e descontente com o que faz, sentindo que não era esse o caminho certo.
Você deve saber exatamente a utilidade do que faz para as pessoas, a sociedade, para você. Todas as profissões tem uma utilidade e podem fazer o bem, por isso, você tem que alinhar a sua utilidade com o que você busca para sua vida.
Além disso, há profissões que podem te “forçar” a mentir, trapacear, ignorar os outros.. enfim, coisas que talvez você não esteja disposta a fazer ou não queira. Além disso é claro, tem muitas profissões em que você expõe sua saúde, segurança e físico.
Portanto, saiba bem o que te espera no futuro e escolha de acordo com seu princípios e desejos.

8. Faculdade pública ou privada? Esforço pessoal ou forçado?
Infelizmente aqui no Brasil esse tópico é complicado.
Na minha opinião temos 3 escolhas:
– Faculdades particulares mais baratas sem muitos pontos positivos quando analisadas.
– Faculdades particulares melhores mas extremamente caras.
– Faculdades públicas boas, mas que nem sempre tem uma boa e constante infra-estrutura.
Ai vem alguns pontos a se considerar:
– As greves e infra-estrutura das públicas
– O dinheiro que se está disposto a gastar
– O quanto se está preocupado com a qualidade de ensino
– O quanto você é esforçado por si mesmo ou o quanto você precisa de um “empurrão” para se esforçar.
Tudo isso é mais uma questão financeira e de qualidade de ensino.
É uma decisão complicada que todos nós temos que tomar.

9. Todos os amigos e histórias para contar. O que essa experiência traz além do conhecimento e diploma?
Não dá para esquecer todas as coisas boas e ruins que a faculdade te trazem no percurso do caminho.
Serão muitas pessoas que cruzaram seu caminho de anos em busca de um alvo a alcançar.
Professores, estudantes, palestrantes, funcionários… enfim, pessoas que provavelmente marcarão a sua vida e que passaram com você a maior parte do tempo nos anos em que estiver estudando.
Além de compartilhar todas as experiências com as pessoas ao seu redor, pode viver coisas muito boas, e levar amigos para a vida toda.
E é claro, ninguém nunca se safa dos momentos embaraçosos e desagradáveis não é… mas isso faz parte da vida.
Além de todos que irá conhecer, vai aprender sobre horários, respeito, projetos, falar em público, trabalho em grupo, esforço pessoal, estudo e foco!

10. Todos os outros lados da vida afetados pela faculdade.
A faculdade parece que toma conta da sua vida inteira.
As sua horas e dias ficam comprometidos e tudo se encaixa de acordo com os horário dela.
Muitas vezes se estuda e trabalha ao mesmo tempo, o que afeta a saúde, a vida social, a família, o tempo pessoal…
Enfim, essa é uma fase cheia de surpresas, divergências de sentimentos, sofrimento e alegrias.

No fim, a pergunta que você deve fazer depois de passar por esses 10 passos é:

Tudo isso vale a pena?

Essa é definitivamente uma decisão difícil para quem acabou de sair da escola, mas com força, dedicação e determinação, será um passo de sucesso e uma fase difícil mas de muita alegria e recompensa.
Espero que tenham gostado e que essas considerações possam ajudar na decisão do futuro!
Bju Bju




Sem comentários no momento

Adicione o seu